HOMO LUDDENS

CASA-GRANDE & SENZALA

Posted in desenho by ! on setembro 22, 2009

cicerodias copy

Ilustração de Cícero Dias para Casa-Grande & Senzala (1933), de Gilberto Freyre. [The Big House and the Slave Quarters]

Anúncios

O BANQUETE

Posted in teatro by ! on setembro 10, 2009

banquete_rio

Hoje no Rio: O banquete, de Platão, Sócrates e Zé Celso. Associação Teatro Uzyna Uzona.

Tagged with: ,

CRIATURA

Posted in gravura by ! on agosto 11, 2009

Digitalizar0002

Tagged with: ,

FOLIA DE REIS ESTRELA ILUMINADA

Posted in Uncategorized by ! on agosto 7, 2009

DSC00345

Folia de Reis Estrela Iluminada, da cidade de Barra Mansa / RJ.

Tagged with:

CHOQUE!

Posted in desenho by ! on agosto 5, 2009

meninachoque

30 maneiras de tomar um choque, aqui. Conheça também o Batalhão de CHOQUE da Polícia Militar, por meio da fotografia de Luiz Vasconcelos,  vencedor do concurso de fotojornalismo Worl Press Photo, na categoria “General News”.

Tagged with: , ,

DOS TEMPOS DE FACULDADE

Posted in desenho, Uncategorized by ! on agosto 3, 2009

Digitalizar0001 copy

[1.desenho feito quando ainda estudante de história 2.Campus do Gragoatá, Blocos N e O, Niterói / RJ.  3.Universidade Federal Fluminense] “para o amigo Eduardo Ângelo, que ainda não tem um blogue, mas sempre passa por aqui.” [Olha o jingle:  “A UFF é pra lutar /e construir o movimento popular/ e INCLUSIVE / quebra mó galho / na construção do movimento operário.” .rs!]

Tagged with:

A BELA E A FERA.

Posted in desenho by ! on agosto 1, 2009

amor1

Tagged with:

MAIS PORCO?

Posted in desenho by ! on julho 31, 2009

CABECAPORCO

Tagged with:

MADAME, CABEÇA DE PORCO?

Posted in desenho by ! on julho 31, 2009

madame1

“1.Era de ferro a cabeça, / De tal poder infinito / Que, se bem nos pareça, / Devia ser de granito.  2.No seu bojo secular / De forças devastadoras, / Viviam sempre a bailar / Punhos e metralhadoras.  3.Por isso viveu tranquila / Dos poderes temerosos, / Como um louco cão de fila / Humilhando poderosos. 4. Mais eis que um dia a barata, / Deu-lhe na telha almoçá-la, / E assim foi, sem patarata, / Roendo até devorá-la!” [Rio de Janeiro, 1893]     

Tagged with: ,